Casa dos Açores de Winnipeg Participa na XX Assembleia Geral do Conselho Mundial das Casas dos Açores

Texto de Paulo Jorge Cabral - Fotografias cortesia da Casa dos Açores de Winnipeg - 16.09.2017

A cidade de Toronto, na província do Ontário, Canadá, recebeu, de 13 a 16 de setembro findo,  a XX Assembleia Geral do Conselho Mundial das Casas dos Açores (CMCA).

Esta Assembleia Geral, que em 2017 foi presidida pela Casa dos Açores do Ontário, contou com a participação das Casas dos Açores do Rio de Janeiro, do Estado do Rio Grande do Sul, da Ilha de Santa Catarina e de São Paulo (Brasil), de Hilmar e de Nova Inglaterra (EUA), do Quebeque, do Ontário e de Winnipeg (Canadá), de Lisboa, do Porto e do Algarve (Portugal Continental),  Uruguai, e Bermuda da Bermuda, que aderiu no ano passado ao referido conselho.
O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas afirmou hoje, em Toronto, no Canadá, que se assiste a uma “nova era” na Diáspora, em que se apresentam novos desafios às Casas dos Açores e também ao Governo dos Açores para afirmar a açorianidade e potenciar a presença do arquipélago no mundo.

Rui Bettencourt, que intervinha na sessão de abertura da XX Assembleia Geral do Conselho Mundial das Casas dos Açores, considerou ser importante refletir o caminho percorrido até agora, mas defendeu que se torna “imperioso desenhar e construir o futuro juntos”, sublinhando que esse é um futuro que se quer “harmonioso, ambicioso e inclusivo, onde todos devem estar”.

“Não te interrogues sobre o que os Açores podem fazer por ti. Interroga-te, sim, sobre o que podes fazer pelos Açores”, asseverou o governante, parafraseando Kennedy para desafiar os açorianos, de todo o mundo e do arquipélago a fazerem “tudo pelos Açores”.

Para o titular da pasta das Relações Externas, “responder aos desafios com pertinência” obriga a todos a “uma grande responsabilidade”. Uma responsabilidade que no seu entender implica a tomada de consciência de que a construção do futuro dos Açores e da sua Diáspora obriga à “união dos açorianos”, mas também à “necessidade imperiosa de entusiasmar os jovens para um projeto açoriano”, dentro e fora dos Açores.

“É importante que os açorianos dos Açores tenham orgulho dos açorianos da Diáspora tal como os açorianos que vivem no Mundo tenham orgulho nos Açores de hoje”, frisou ainda Rui Bettencourt, recordando o desenvolvimento a que se tem assistido na Região, trabalho esse que nalguns casos está “na vanguarda do progresso”, disse.

Na sua intervenção, o governante aproveitou ainda  para reconhecer e agradecer o trabalho dos fundadores do Conselho Mundial e das Casas dos Açores, cuja dinâmica se tem vindo a aprofundar “através de uma maior abrangência, quer na sua realidade geográfica de atuação, quer na sua área de intervenção”, contando sempre com o apoio e parceria do Governo Regional.

O programa da XX Assembleia Geral do CMCA contou com a intervenção pela Dra. Manuela Marujo, da Universidade de Toronto que fez a apresentação Canadian Centre for Azorean Research and Studie e lançamento local do livro “As Casas dos Açores pelo Dr. José Andrade, como visitas ao Museu dos Pioneiros, em Toronto, Portuguese Support Services for Quality Living, em Hamilton, Centro Cultural Português em Mississauga, onde decorreu a Sessão “O papel dos Jovens na Diáspora”, com introdução de Paulo Teves, Director Regional das Comunidades e teve por Moderador o Deputado Federal Peter Fonseca, visita à Câmara Municipal de Brampton, onde decorreu Inauguração da Exposição 20 Anos do Conselho Mundial das Casas dos Açores, com a intervenção de Martin Medeiros, Brampton City Council, Rui Bettencourt, Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas do Governo dos Açores, e Linda Jeffrey, Mayor da cidade de Brampton.

João Paulo Melo, Presidente da Casa dos Açores de Winnipeg, acompanhado por sua esposa Fátima representaram esta organização no congresso, que na sua intervenção apresentou o relatório de atividades da organização que preside como também elaborou sobre as festas do Divino Espírito Santo e Semana Cultural

“O que fazemos para sobreviver ou seja para nos mantermos ativos, realizamos jantares relacionados com as atividades da casa, como também servimos e arrendamos a sala para Casamentos, batizados, e sobretudo um dos maiores sucessos tem sido o serviço de restaurante às sextas-feiras”, disse João Paulo Melo.

O Jantar de encerramento teve lugar no salão de festas da Casa dos Açores do Ontário, aonde foram entregues as medalhas de mérito a Maria da Conceição Casimiro, Susana Amaral, Sindicato LIUNA Local 183 e Distinção do “Produto Açoriano de Qualidade” Carne - Federação Agrícola dos Açores, representada por Jorge Rita.

O evento finalizou com o trespasse da bandeira para o mandato de 2017/2018 à Casa dos Açores do Rio Grande do Sul, com o discurso da nova presidente Célia Silva.

Criado a 13 de novembro de 1997, na cidade da Horta, ilha do Faial, o Conselho Mundial das Casas dos Açores tem como finalidade congregar as comunidades açorianas, dar a conhecer os Açores, os açorianos e a sua cultura, defender os interesses da Região, dos açorianos e dos seus descendentes, servindo de elo entre o arquipélago e os países ou regiões onde permanecem e afirmar a identidade cultural açoriana como parte integrante da nação portuguesa.
Double click the picture to view photo gallery by
Clique na fotografias para ver reportagem fotográfica de
O Site da Comunidade Portuguesa de Manitoba