ROMEIROS DE QUARESMA MANTÉM TRADIÇÃO QUARESMAL MICAELENSE EM WINNIPEG

Reportagem: Paulo Jorge Cabral (Texto) - Fátima Sousa (Fotografias) - 2018.03.24
O calendário litúrgico deste ano fez que o Rancho de Romeiros da Paróquia da Imaculada Conceição, em Winnipeg saísse em peregrinação mais cedo, o que ocorreu no passado sábado dia 24 de março.

O “rancho” com 64 irmãos, liderado pelo mestre António Costa, coadjuvado pelo contramestre Jacinto Pacheco, lembrador de Almas, José Simão e procurador de almas José Reis fez-se à estrada, percorrendo o percurso habitual que os levou da Igreja Matriz da Imaculada Conceição até às igrejas paroquiais de Santa Teresa, no West St. Paul, Santo António, São José, São Pedro, Cemitério Assunção, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, São Paulo “O Apóstolo”, Santo Eduardo “O Confessor”, Catedral de Santa Maria, Santo Rosário, Catedral de São Bonifácio Missionários da Caridade, Espírito Santo, Santo André, e finalmente regressando no final da tarde à Imaculada Conceição, aonde participaram na eucaristia.

As romarias são "um retiro espiritual", durante o qual os romeiros procuram "uma ligação próxima com Deus e um tempo de aprofundar a fraternidade".

Este percurso de oração, fé e reflexão, cumpre assim uma tradição quaresmal Micaelense com primórdios no século XVI.